Última tentativa de obter ajuda

Resolvi eu mesma ligar para a D. Andrea, última tentativa para obter com a família as informações que preciso sobre o Paschoal: a confirmação do Comune onde ele nasceu e data completa do óbito para que eu possa telefonar para o cemitério do Caju e tentar descobrir com eles em qual cartório está a certidão de óbito, isso evitaria gastar mais dinheiro só para buscar esta informação na Santa Casa de Misericórdia.

Ela me atendeu bem, no início ficou um pouco desconfiada mas logo depois foi ficando mais à vontade quando fui mencionando pessoas da família que ela conhecia. Infelizmente ela não lembrava das informações que eu precisava. Quis ajudar e me deu o telefone da Nina, filha mais velha do Paschoal que ainda está viva. Disse que ela é uma pessoa legal, poderia me ajudar e talvez lembraria.

Liguei mais tranquila, esperançosa de ser ajudada e conseguir descobrir o que faltava. Grande engano, a tal Nina foi super mal educada, me tratou com pouco caso e disse que não lembrava de nada. Nossa! Desliguei o telefone chocada e magoada. Até chorei. É horrível quando alguém se recusa a te ajudar e faz pouco caso do que é importante pra você. Mas tudo bem, eu já sabia que o pessoal mais velho da família é “ruim de jogo”. O negócio é seguir em frente e escolher um outro caminho para conseguir estas informações.

Deixe uma resposta