Comecei com o que tinha em mãos

Como não conseguimos quase nada com a família, resolvi buscar as certidões por outro meio.

Usei como ponto de partida a cópia da certidão de casamento do Paschoal. A certidão é de 1939, feita na “Quinta Pretoria Civil”. Esse termo nem se usa mais.

Busquei na internet uma lista dos cartórios do Rio de Janeiro, liguei para um deles que me informou o telefone da Central de Busca de Certidões (21) 2299-3029. Com a Central descobri que este cartório não existe mais e que as certidões de lá foram encaminhadas para a 7ª Circunscrição, no bairro do Estácio. Ótimo! Liguei para lá e pedi para fazer uma busca. Informei o nome dos noivos, os números do livro e da folha que constavam na cópia que eu tinha. Bingo! A certidão está lá! É só aparecer no cartório e tirar a 2ª via que custa R$ 54,37.

Resolvido a certidão de casamento do Paschoal, precisava agora descobrir onde estava a certidão de óbito dele. O pai do Christian nos informou que o Paschoal foi enterrado no cemitério do Caju (RJ) e que faleceu em 1968. Descobri o telefone do cemitério e liguei. Como não tenho a data completa do óbito, fui informada que deveria procurar na Santa Casa de Misericórdia que é a instituição que mantém o arquivo de óbitos no Rio de Janeiro. É preciso ir até lá e solicitar uma busca para descobrir em qual cartório se encontra a certidão.

Agora, a certidão de nascimento é bem mais complicada. Preciso da original italiana. Para conseguir encontrar este documento primeiramente tenho que descobrir em qual Comune na Itália ele nasceu para facilitar a busca. Christian tinha a informação que o bisavô dele era de Nápoles, mas precisávamos confirmar isso.

Deixe uma resposta